A HISTÓRIA DO CHORO "DINORAH"

Trecho do livro "Benedicto Lacerda - O flautista de ouro - Um gênio da orfandade", de autoria de Sidney Castello Branco

Benedicto Lacerda morava no bairro do Estácio, vez em quando passava por uma casa, tipo pensão, que servia refeições e hospedava artistas ligados ao teatro que vinham de outros estados. Lacerda, já nesta época - 1934, contribuía com suas músicas para o teatro de burleta, portanto conhecia o pessoal do meio.

Lacerda, volta e meia, ia com sua flauta até a pensão e tocava valsas e choros. Todos ficavam sempre maravilhados com aqueles pequenos momentos proporcionados por Benedicto.

Neste local havia uma jovem, cerca de 15 anos que admirava Benedicto e sempre que ele lá estava, muito educadamente, lhe servia um refresco, era sempre uma limonada bem gelada que Benedicto gostava e elogiava.

Com esta amizade simples, desprovida de qualquer outro sentimento, que não fosse de admiração e respeito, Benedicto disse a ela que faria um choro com seu nome.

Qual foi o dia em que Lacerda entrou no recinto, depois de cumprimentar a todos, disse para a jovem: - Este choro eu fiz em sua homenagem e leva o seu nome: “Dinorah”.

A jovem ficou emocionada e orgulhosa com aquela atitude e como não podia deixar de ser explodiu em alegria, nunca mais se cansando de dizer e contar a todos que Benedicto Lacerda tinha feito um choro com o nome dela.

Seu nome completo é Dinorah Marzullo Pêra. Tornou-se artista famosa de teatro e casou com o ator Manuel Pêra. Depois passou a integrar a equipe de Henriette Morineau. Mais tarde trabalhou também na televisão participando de algumas novelas e também no programa humorístico da rede Globo, Zorra Total.

Dinorah Marzullo.jpg

Dinorah Marzullo com a filha Marília Pêra, em 1998 Foto: Divulgação/Cristina Granato

A Sra. Dinorah Marzullo Pêra faleceu em 2013, aos 94 anos, é mãe das atrizes, diretoras e cantoras, as irmãs multitalentosas, Marília Pêra e Sandra Pêra.

O choro “Dinorah” fez sucesso na ocasião e até hoje é muito executado/gravado, sendo levado para os EUA pela famosa organista Ethel Smith e lá também gravado com muito sucesso.

OUÇA AQUI O CHORO "DINORAH"